Previous Page  14-15 / 24 Next Page
Information
Show Menu
Previous Page 14-15 / 24 Next Page
Page Background

14

REVISTA

SINDLOC SP

15

REVISTA

SINDLOC SP

O

ciclo de crescimento acelerado

das vendas de seminovos pe-

las locadoras de veículos nos

anos de crise econômica pode estar

perto de se estabilizar. Se em 2018 o

aumento nas vendas de seminovos

pelas locadoras foi da ordem de 64%

– o que representou um acréscimo

de 57% à receita –, a expectativa é

que esse ritmo perca fôlego. As mu-

danças esperadas para a economia,

aliadas às tendências de comparti-

lhamento e mobilidade, contribuem

para solidificar essa tendência.

Especialistas evitam arriscar

um número, mas avaliam que a

retomada da confiança do consu-

midor, que melhora conforme são

aprovadas as reformas para a eco-

nomia, leve ao aumento da busca

por veículos zero-quilômetro. Isso

reduziria a demanda pelos veículos

usados e poderia até diminuir os

SEMINOVOSNA

ROTADAESTABILIDADE

Projeção do setor é perda de fôlego neste ano, o que exige o olhar das

locadoras para outros nichos

Bigstock

essas empresas continuam crescen-

do, mas não de forma tão agressiva

como nos últimos anos”, analisa.

“Vimos a frota de locação de ve-

ículos passar de 500 mil há cerca de

três anos para 800 mil veículos. As

locadoras representam quase 25%

deste segmento de mercado”, anali-

sa Wong. O consultor projeta que um

caminho para a desova de seminovos

serão as cidades que não estão loca-

lizadas nas regiõesmetropolitanas, já

que os grandes centros tendema não

absorver o crescimento da frota.

Mobilidade

Além de reflexos do cenário

econômico, o mercado de semi-

novos também se depara com as

tendências de mobilidade, como o

compartilhamento de carros e de

outros modais. Especialistas acre-

ditam que o efeito não será tão

expressivo no Brasil como foi na

Europa e nos Estados Unidos. Pelo

menos por enquanto. Para Fabio

Pinto, CEO da Carflix, plataforma

que intermedeia a comercializa-

ção de usados, vai sempre existir

um carro usado que precisará ser

vendido. Então, ele acredita que

esses modelos vão coexistir com

estão voltando a financiar, o que é

bom para o varejo”, observa.

O consumidor que antes compra-

vao seminovopode voltar aolhar para

o zero-quilômetro, principalmente se

conseguir financiamento nos ban-

cos das montadoras. A retomada do

emprego poderia tirar hoje parte do

contingente de pessoas que alugam

veículos para trabalhar para os apli-

cativos de transporte. “A redução de

demanda poderia forçar a locadora

a baixar o preço para reduzir a frota

de seminovos. Em um cenário assim,

“A redução de

demanda poderia

forçar a locadora

a baixar o preço

para reduzir a frota

de seminovos. Em

um cenário assim,

essas empresas

continuam

crescendo, mas

não de forma tão

agressiva”

DAVIDWONG

, At Kearney

Divulgação

incentivos que as locadoras vinham

obtendo para a renovação de suas

frotas junto às montadoras.

E um sinal de arrefecimento

não só das vendas de locadoras,

mas do mercado de seminovos de

forma geral, pode ser observado

no decorrer de 2019. Dados da Fe-

deração Nacional das Associações

dos Revendedores de Veículos Au-

tomotores (Fenauto) mostram que

as vendas de seminovos caíram

8,3% de janeiro a outubro deste

ano em relação ao mesmo período

de 2018. “O resultado já era espe-

rado, até pela própria acomoda-

ção do mercado de seminovos. Os

veículos com até três anos de uso

tiveram sua procura aumentada

quando caiu a venda dos novos. Na

ocasião, essa faixa de idade de ve-

ículos apresentava, em seu custo-

-benefício para o comprador, uma

Os oito carros que perderam menos valor

neste ano e poderão ser negócios mais

promissores para as locadoras em 2020

Fabio Pinto

, da Carflix, acredita

que os seminovos vão coexistir

com as mudanças de hábitos em

relação à mobilidade

Divulgação

as mudanças de hábitos em rela-

ção à mobilidade.

“Se a pessoa deixa de ter um car-

ro, passará a usar um carro de apli-

cativo, ou seja, o meio de transporte

não desaparece. Apenas a proprie-

dade”, pondera. Para ele, a bicicleta e

o patinete não concorrem comos ve-

ículos, pois atendem apenas as ne-

cessidades de micromobilidade, ou

seja, percursos de menos de 15 qui-

lômetros. O fato é que as locadoras

precisarão mirar em outros nichos

para não ficarem reféns da estabili-

zação dos seminovos.

n

* Fonte: KBB

MONTADORA

GERAL

Peugeot 5008

-0,59

%

Toyota Hilux

-1,92

%

Toyota Yaris Hatch

-2,01

%

Volkswagen Golf

-2,27

%

Volkswagen Fox

-2,65

%

Mitsubishi L200 Triton

-2,66

%

Volvo XC60

-2,72

%

Mercedes-Benz Classe A

-3,23

%

série de vantagens”, afirma Ilídio

dos Santos, presidente da entidade.

Como exemplos dessas vanta-

gens, ele destaca a maior quantida-

de de acessórios, bom estado geral,

quilometragem razoável e custo de

seguro por um preço bem inferior

ao zero. Segundo ele, a tendência

de procura por modelos mais anti-

gos e acessíveis voltou ao padrão

de anos anteriores.

Efeitos da crise

Para David Wong, especialista

do setor automotivo da consul-

toria AT Kearney, a desaceleração

nas vendas de seminovos pode ser

pontual e é importante observar

esse comportamento ao término

do ano. No entanto, ele lembra que

as montadoras não aumentaram

os preços de veículos novos no úl-

timo ano. “Além disso, os bancos