Previous Page  2-3 / 24 Next Page
Information
Show Menu
Previous Page 2-3 / 24 Next Page
Page Background

3

REVISTA

SINDLOC SP

SOMOSPROTAGONISTAS

PORQUE QUISEMOS SER

EXPEDIENTE

A

Revista Sindloc-SP

é uma

publicação mensal do Sindicato das

Empresas Locadoras de Veículos

Automotores do Estado de São Paulo,

distribuída gratuitamente a empresas

do setor, indústria automobilística,

indústria do turismo, executivos

financeiros e jornalistas.

Foto de capa: Bigstock

Presidente:

Eladio Paniagua

Vice-presidentes:

Paulo Hermas Bonilha Junior, Luiz Carlos de

Carvalho Pinto Lang, Paulo Miguel Junior e Luiz Antonio Cabral

Diretoria:

Jeronimo Muzetti, José Mario de Souza,

Luiz Magalhães e Marcelo Ribeiro Fernandes

Conselho Fiscal:

Daniel Ribeiro Huss, Flavio Gerdulo,

Jarbas José dos Santos, Luis Carlos Godas,

Mônica da Mata Ceresa e Paulo Gaba Junior

Delegados regionais:

Jarbas José dos Santos, Jeronimo

Muzetti, João Toquetão e Marcelo Ribeiro Fernandes

Produção Editorial:

Scritta –

www.scritta.com.br

Coordenação geral:

Luiz Antonio Cabral

Coordenação editorial:

Leandro Luize

Redação:

Ana Claudia Nagao, Júlia Arbex e Rejane Tamoto

Jornalista Responsável:

Paulo Piratininga - MTPS 17.095 -

piratininga@scritta.com.br

Direção de Arte/ Diagramação:

Luis Fernando Chiapinotto

Impressão:

Gráfica Revelação

Circulação:

12 mil exemplares impressos e digitais

Endereço:

Praça Ramos de Azevedo, 209 – cj. 22 e 23

Telefone:

(11) 3123-3131

E-mail:

secretaria@sindlocsp.com.br

É permitida a reprodução total ou parcial das

reportagens, desde que citada a fonte.

O

que somos é consequência do que pensamos”. A máxima do sábio Dalai Lama re-

sume com exatidão a evolução da indústria de aluguel de veículos no decorrer dos

últimos anos. A despeito das incertezas da economia, o setor teve a sagacidade

para compreender as mudanças comportamentais de empresas e consumidores, que dita-

ram os movimentos recentes da cadeia automotiva. Assumimos e fizemos valer a missão de

atuar como protagonistas. E não somos apenas nós que atestamos essa realidade.

Especialistas do mercado financeiro têm sido enfáticos ao destacar a pujança do seg-

mento e seu completo descolamento do ambiente de negócios do Brasil. Um relatório do

BTG Pactual enviado a clientes no fim de setembro ajudou a confirmar essa percepção. “As

taxas de crescimento permanecem muito fortes, dissociadas da atividade econômica lenta

do Brasil, e os spreads de capital de retorno continuam a se expandir, impulsionados pela

alavancagem operacional, preços saudáveis e taxas mais baixas”. A recomendação para in-

vestidores é muito clara: não compre carros, e sim ações das empresas do setor.

Mas a visão otimista não se restringe aos grupos com capital aberto. O Credit Suisse es-

tima que o mercado de locação de veículos passará de um total de 396 mil carros no fim de

2018 para uma frota próxima dos 945 mil na próxima década. Segundo a análise da institui-

ção, a demanda proporcionada por motoristas de aplicativos, notadamente o Uber, deve ser

um dos principais motores desse incremento. A tendência é que o número de profissionais

nessa atividade se mantenha elevado mesmo após uma eventual retomada da economia,

pela garantia de renda maior que o salário mínimo e pela jornada mais flexível.

As avaliações, inclusive, afastam os riscos de uma concorrência mais elevada por parte

das montadoras, que iniciaram investimentos em locação como alternativa de receita. Para

os analistas, é difícil replicar as vantagens competitivas que as locadoras já possuem, por

ter maior escala e uma rede de clientes consolidada.

Essa incursão das fabricantes, na prática, demonstra quão promissora e atual é a ativida-

de de aluguel de automóveis. Esse é o resultado de um trabalho incansável e cultivado dia-

riamente por empreendedores movidos não apenas por

feeling

e conhecimento de mercado.

É uma razão, em particular, que nos sustenta no caminho do protagonismo e foi explicada

por Steve Jobs da maneira mais sucinta e precisa possível. “Para se ter sucesso, é necessário

amar de verdade o que se faz”.

Abraços

Eladio Paniagua

Presidente do Sindloc-SP