Previous Page  2-3 / 24 Next Page
Information
Show Menu
Previous Page 2-3 / 24 Next Page
Page Background

3

REVISTA

SINDLOC SP

NÃOSOMOS FENÔMENO,

SOMOSREALIDADE

EXPEDIENTE

A

Revista Sindloc-SP

é uma

publicação mensal do Sindicato das

Empresas Locadoras de Veículos

Automotores do Estado de São Paulo,

distribuída gratuitamente a empresas

do setor, indústria automobilística,

indústria do turismo, executivos

financeiros e jornalistas.

Foto de capa: Bigstock

Presidente:

Eladio Paniagua

Vice-presidentes:

Paulo Hermas Bonilha Junior, Luiz Carlos de

Carvalho Pinto Lang, Paulo Miguel Junior e Luiz Antonio Cabral

Diretoria:

Jeronimo Muzetti, José Mario de Souza

e Luiz Magalhães

Conselho Fiscal:

Daniel Ribeiro Huss, Flavio Gerdulo,

Jarbas José dos Santos, Luis Carlos Godas,

Mônica da Mata Ceresa e Paulo Gaba Junior

Delegados regionais:

Jarbas José dos Santos, Jeronimo

Muzetti, João Toquetão e Marcelo Ribeiro Fernandes

Produção Editorial:

Scritta –

www.scritta.com.br

Coordenação geral:

Luiz Antonio Cabral

Coordenação editorial:

Leandro Luize

Redação:

Ana Claudia Nagao

Jornalista Responsável:

Paulo Piratininga - MTPS 17.095 -

piratininga@scritta.com.br

Direção de Arte/ Diagramação:

Luis Fernando Chiapinotto

Impressão:

Gráfica Revelação

Circulação:

12 mil exemplares impressos e digitais

Endereço:

Praça Ramos de Azevedo, 209 – cj. 22 e 23

Telefone:

(11) 3123-3131

E-mail:

secretaria@sindlocsp.com.br

É permitida a reprodução total ou parcial das

reportagens, desde que citada a fonte.

G

osto de recorrer a frases de grandes pensadores para refletir o ponto de vista do

Sindloc-SP

sobre os rumos do setor e da economia. Mas desta vez, não há como

deixar de repercutir as contundentes afirmações de Luiz Carlos Moraes, presiden-

te da Anfavea.

Na mais recente apresentação dos números da entidade ao mercado e à imprensa, o

dirigente reforçou que a venda direta é uma realidade que veio para ficar e indica as novas

tendências de mobilidade. Ele fez questão de rejeitar qualquer possibilidade de vilanizar a

atividade, refutando mais uma vez toda crítica relacionada à excessiva dependência dessa

prática por parte das montadoras.

Contra estatísticas não há argumentos. A participação de locadoras e do segmento

frotista na venda de carros aumentou quase 20% em cinco anos. E o reconhecimento da

maior associação do canal automotivo só atesta a consolidação desse modelo e obriga

todo o sistema de distribuição de veículos a repensar o seu negócio. Porém, estamos longe

de representar um mero fenômeno.

Por que afirmo isso? Pelo simples fato de que estamos, há anos, estudando caminhos

para fortalecer a indústria de aluguel de veículos e não deixar as locadoras presas a estra-

tégias convencionais. Trabalhamos para criar canais de relacionamento consistentes com

as montadoras, ao mesmo tempo que intensificamos a aproximação com fornecedores de

outros segmentos e novos atores, como as

startups

de compartilhamento e tecnologia.

Também procuramos nos unir em torno de entidades representativas, mas não apenas

para defender a categoria como se vivêssemos em um casulo. A cada mobilização setorial,

reiteramos nosso compromisso com a liberdade econômica, com a adequação da lei às

novas relações trabalhistas e com a suavização da carga tributária e do custo Brasil, para

estimular a geração de empregos e a cadeia produtiva.

Mas o que, de fato, norteia esse pensamento é a capacidade de olhar e ouvir aqueles que

são a razão da existência de todo o mercado automotivo: os clientes – o empresário que

demanda um gerenciamento profissional para reduzir despesas com frota e alocar mais es-

forços para sua atividade-fim, o executivo que busca mais agilidade e praticidade para chegar

ao aeroporto, à reunião ou ao local de trabalho, o usuário que dispensa o carro próprio para

privilegiar o uso do veículo. São eles que impõem a cadeia automotiva a repensar seu papel.

As declarações de Luiz Carlos Moraes vão ao encontro desse contexto e apontam para

uma rota inevitável. Não precisamos de rivalidades no setor automotivo. Somos uma rede,

em busca da eterna sobrevivência e revitalização.

Abraços,

Eladio Paniagua

Presidente do Sindloc-SP